Sem categoria

PRECISO DE PARAR DE ME SABOTAR

auto-sabotagem
Já perdi conta ao número de vezes em que me obriguei a parar e repetir vezes sem conta: precisas de parar com isto, Sofia, precisas de parar com isto. E preciso. Preciso de parar de me sabotar. Preciso mesmo. Mas não é tão fácil quanto eu gostaria. De vez em quando lá vou eu começar a pensar em coisas parvas que acabam comigo a sabotar por completo o que quero fazer.
Além de sofrer um bocadinho de síndrome do impostor, visto que nunca reconheço o valor do meu trabalho no blog ou na escrita no geral, muitas vezes sinto que o medo me prende e faz com que eu nem sempre tenha coragem para apresentar projectos e ideias novas no momento em que devia. Ou tenho medo de falhar, ou tenho medo de que não seja bom o suficiente, ou começo a pensar que não vale a pena e que vou ficar sem ideias. Um bom exemplo disso é o projecto Conta-me Histórias, que era uma ideia que existia há muito tempo, mas eu arranjava sempre desculpas para não a concretizar: não sei escrever contos, ninguém quer ler os meus contos, não é uma boa ideia, não resulta neste formato, etc., etc. Até que decidi que ia apresentá-la de qualquer forma. Começo a acreditar que mais vale tentar os formatos todos que apetece tentar. Se correr mal faz de conta que não aconteceu nada. Se correr bem ainda vamos agradecer a audácia do momento. Foi mais ou menos essa a minha filosofia para começar os vídeos no YouTube.

No entanto, tenho um problema em mãos: gosto de planear sem planear demasiado, para ter elasticidade. Mas quando começo a planear vejo as ideias a escassear e aí começo a achar que não vou conseguir. E tenho de parar com isto. Sei que também sinto que não tenho muito conteúdo diferente para trazer porque, infelizmente, não tenho tido vida com muitas coisas diferentes sobre as quais falar. E isto é uma bola de neve que me deixa um bocado na merda. Começa comigo a pensar que gostava de trazer conteúdos diferentes (como já trouxe), mais coisas de lifestyle, de locais, coisas assim. Mas depois percebo que não tenho coisas a partilhar nesses conteúdos porque a minha vida no último ano tem sido um belo conjunto de nada, sem grandes novidades, sem mudanças, sem coisas diferentes. E aí tento pensar em conteúdo que possa produzir tendo em conta a minha vida neste tempo. Mas o meu cérebro desvia para o modo pensar demasiado na vida, alimentar a quarter-life crisis, fazer-me sentir mal comigo e pronto. Adeus, ideias. Adeus, energia. Adeus, tudo. E eu preciso de parar de fazer isto.

Aquilo que tenho tentado fazer é focar-me no conteúdo que consigo fazer e continuar o meu trabalho de não me deixar contagiar pela síndrome do impostor e confiar naquilo que estou a fazer. Nem sempre é fácil, mas já consegui definir algumas coisas que me vão ajudar. Mas preciso de parar de me sabotar. E ainda não sei como o vou fazer.

12 Comentários

  • Reply
    Joana Sousa
    15/01/2019 at 09:46

    O síndrome do impostor é tramado. Estou contigo nessa…e (faz o que eu digo, não faças o que eu faço) a melhor solução é mesmo mandar o barro à parede e ver se cola. Boa sorte, moça – acredita em ti, porque nós acreditamos!

    Jiji

    • Reply
      Sofia Costa Lima
      18/01/2019 at 12:32

      "acredita em ti, porque nós acreditamos!" – acho que isto foi a coisa mais bonita que já me disseram 💙

  • Reply
    Diogo
    15/01/2019 at 12:05

    Como disse a Joana, acreditamos! E podes ver provas disso no mês anterior que a solução apareceu mesmo quando não tinhas computador. É um pequeno fragmento do que nos contas, mas acho que pode ajudar. Beijinhos

  • Reply
    Andreia Morais
    15/01/2019 at 21:06

    É um exercício que também tenho que fazer com frequência, porque deixo que as dúvidas assumam controlo total. E a prova disso é que tenho uma ideia guardada há algum tempo, mas vou adiando porque acho que faltam limar detalhes, porque, se calhar, não é assim tão original… E, se permitir, os ses aumentam de forma gritante.
    Sem ter uma fórmula mágica, a verdade é que temos que nos contrariar. Força, tu consegues <3

    • Reply
      Sofia Costa Lima
      18/01/2019 at 14:37

      Fico à espera de que os "ses" diminuam" e tires a ideia da gaveta, mas bem sei que é difícil! Obrigada… também vais conseguir! 💪

  • Reply
    -Valéria
    17/01/2019 at 20:09

    Também tenho que parar de fazer isso, cada vez mais fico com menos energia para tudo.
    Beijinhos 🙂
    https://www.dailyvlife.com

  • Reply
    Mary
    22/01/2019 at 14:20

    De certa forma todos acabamos por pensar um bocadinho assim, uns mais que outros é certo, mas é necessário pararmos mesmo de nos fazer a "vida negra". Tu consegues, acredita em ti, que esse é o passo mais importante e tenho a certeza que aos poucos o conseguirás dar 🙂
    Beijinho

  • Reply
    Carolayne T. R.
    28/01/2019 at 16:02

    Persistência, minha amiga, persistência! Eu e tantas outras pessoas reconhecemos o teu valor e é uma pena não o veres a 100%!! És genial em tudo o que fazes e acredito que trabalhando na direcção certa, serás clarificada quanto ao teu potencial! ♥ Força nisso!

    LYNE, IMPERIUM BLOG

share your theory

%d bloggers like this: