Livros Sustentabilidade

Destralhar: Dar e Vender Livros em 2.ª Mão

09/09/2020
dar e vender livros

O sonho da maioria dos leitores é ter uma biblioteca gigante em casa, com centenas e centenas de livros. O meu sonho também já foi esse. No entanto, esse sonho começou a ganhar formas diferentes. Claro que quero ter muitos livros, principalmente se significar que li aqueles livros e que aqueles livros me fizeram melhor pessoa ou melhor escritora, mas… deixou de fazer sentido para mim manter todos os livros que já li. Por isso, aqui há dias, quando escrevi sobre diminuir a lista de livros por ler, dei uma dica polémica: decidir se há livros para dar ou vender.

Destralhar literário: dar e vender livros

Acredito que, para leitores ávidos, com muitos anos de leitura, seja difícil desapegar dos livros que lemos. Também é assim para mim: ainda mantenho todos os livros que tinha quando era criança, por exemplo. No entanto sinto que o desapego se trabalha. Não me vou livrar de metade da minha biblioteca, mas se há livros que já não me atraem, que sei que não voltarei a ler e que sei que não mudaram a minha vida: vale a pena mantê-los?

É um exercício difícil, demorado e por vezes doloroso. Ao mesmo tempo é também um exercício que te permite ganhar espaço (para novos livros, quem sabe?) e, se venderes, ganhar algum dinheiro. Além de que ajudas a enriquecer a vida de outras pessoas.

Aqui a questão divide-se em duas partes: dar e vender. Vou dar-te uma espécie de passo-a-passo de como faço as coisas.

Dar ou vender?

O primeiro passo é separar os livros que não quero manter. Depois de separados, tiro logo fotografias aos livros. Faço isto logo porque normalmente pergunto sempre aos meus amigos mais próximos se querem algum daqueles livros. Se quiserem, opto por lhes dar os livros.

Depois, decido o que fazer com os restantes. A escolha entre dar e vender nem sempre é óbvia para mim. Em Dezembro, por exemplo, optei por dar seis livros e deixei-os na Livraria Déjà Lu, na Cidadela de Cascais. Este ano, no Verão, decidi colocar vários à venda, com a ideia de que em 2021 darei os que não vendi a alguma instituição.

Vender livros em 2.ª mão: onde vender, que informações disponibilizar, pagamentos e envios

Se decides logo vender os teus livros acho que há algumas coisas que deves ter em conta: fotografias, onde vender, que informações disponibilizar, pagamentos e envios.

A primeira coisa que tens de fazer é fotografar os livros: tira fotografias, com boa luz e boa qualidade, à capa e a algum defeito ou a marcas que possa ter. Com as fotografias prontas tens de escolher onde vender os livros:

Onde vender livros em 2.ª mão?

Estas são as opções mais usadas e mais simples. Aquelas que mais uso são os grupos de Facebook, o Instagram e, recentemente, comecei a utilizar a plataforma Trade Stories. Esta plataforma é portuguesa e é relativamente recente. O objectivo é apenas comprar e vender livros em 2.ª mão.

Em qualquer uma delas convém teres fotografias com qualidade e disponibilizar algumas informações sobre os livros, tais como: o livro está como novo/nunca foi lido, há marcas de leitura ou algum defeito, está autografado, aceitas ou não trocar por outros livros, fazes desconto se comprarem vários livros, só vendes os livros juntos ou aceitas vender em separado, etc.

Determinar preços, portes de envio e meios de pagamento

Determinar preços é a parte em que tenho mais dificuldade. Normalmente pesquiso para saber se há mais gente a vender aquele livro e qual o preço a que vendem, para ter algo com que me guiar.

Se for um livro mais recente ou maior (logo, mais pesado) há-de ser mais caro (10 euros, por exemplo), se for mais antigo ou mais pequeno o preço rondará algo entre os 5 e os 7,5 euros. Eu prefiro apresentar os preços já com o valor dos portes, porque já estou habituada a enviar encomendas pelos CTT e, por isso, sei mais ou menos os preços. No entanto podes escolher ter os portes à parte.

Para enviar, escolho sempre envelopes almofadados de Correio Normal, porque sempre protegem um bocadinho melhor o livro e não são muito caros. Podes também optar por embrulhar em casa e pagar só o peso.

Meios de pagamento

Estas são os meus meios de pagamento preferidos. O primeiro já não é tão comum agora, principalmente porque implica esperar para receber o dinheiro e porque muita gente não gosta de dar o NIB ou IBAN.

O Paypal é o meu preferido, mas ainda há muita gente que não sabe usar. É mais seguro (podes só dar um link, sem e-mails ou outras informações) e é fácil de usar.

Mas o método que mais tem sido usado ultimamente é o MB Way. Tem a vantagem de ser fácil de usar e de o pagamento ser recebido logo, mas tem a desvantagem de ser preciso dar o número de telemóvel. Era bom se tivessem uma forma de transferir sem que fosse necessário apresentar o número de telemóvel.

Dicas finais de venda

Sê honesto sobre as condições do livro: se tem marcas ou se tem alguma falha explica logo isso. Recentemente, vendi três livros da saga Harry Potter. Como eram livros antigos as capas estavam marcadas e uma tinha uns pequenos rasgos. Quando me contactaram enviei logo as fotografias dessas marcas.

Confirma sempre que recebeste o dinheiro e faz o envio só depois da recepção.

Mantém contacto com os compradores até que recebam os livros. Avisa quando fizeres o envio e pede que te avisem quando o receberem. Voltando aos livros de Harry Potter: quando os enviei avisei a compradora, mas os correios atrasaram-se muito no envio (não sei se a encomenda andou perdida ou trocada) e os livros só chegaram três semanas depois. Neste caso a pessoa quis esperar, mas na altura em que recebeu eu já estava preparada para devolver o dinheiro da compra.

Pergunta a ti mesmo: comprava este livro em 2.ª mão por este preço? É uma ajuda para perceberes se o preço é justo ou se está demasiado elevado. 

Dar livros em 2.ª mão

Preferes dar livros ou percebeste que os livros que tens para vender já não vão ser vendidos? Também tenho algumas sugestões dentro desta opção:

Dar livros a amigos e familiares. Esta é a opção mais simples e imediata e é sempre a minha primeira opção, porque os meus amigos mais próximos gostam de ler.

Sortear os livros. Pode ser uma forma diferente de dar os livros que tens. Podes fazer um passatempo nas redes sociais ou no teu blog e oferecer livros. Aí, não te esqueças de avisar que são livros em 2.ª mão.

Dar a livrarias solidárias ou a bibliotecas. Já te falei da Déjà Lu, em Cascais, mas sei que pode não ser uma opção se fores de longe. A minha sugestão é procurares na WasteApp. Este site (com aplicação) ajuda-te a encontrar lugares para dar e deixar várias coisas (electrodomésticos, lixo, etc.), incluindo livros. 

Em jeito de conclusão

Destralhar livros não é fácil, mas é uma opção boa, principalmente se tens pouco espaço ou se precisas de algum dinheiro extra. Apesar de já ter vendido e de já ter dado alguns livros posso dizer-te que não é algo assim tão recorrente na minha vida porque, felizmente, tenho mais livros de que gosto e aos quais volto do que livros que não me dizem tanto. Espero que, dentro da dificuldade, esta publicação tenha ajudado.

Gostaste destas dicas?

  • Reply
    Andreia Morais
    09/09/2020 at 19:40

    O meu sonho também já passou por ter um biblioteca gigante em casa. No entanto, quando comecei a comprar mais livros, também me questionei se fazia sentido manter todos aqueles que tinha lido, porque a verdade é que nem todos me tinham marcado de um modo positivo. Então, há um ano [mais coisa, menos coisa], comecei este processo intenso de aprender a destralhar. Se custa? Claro que sim. Mas, depois, também sabe bem. Porque sabemos que ganhamos mais espaço para receber livros novos e, quem sabe, amealhar algumas poupanças. Além disso, acho mesmo bonito permitirmos que aquelas histórias voem para outras casas.
    Curiosamente, sinto que acabei por adiar esta decisão, porque não sabia que preços levar :p

  • Reply
    Andreia Moita
    12/09/2020 at 08:25

    Ainda quero uma biblioteca grande. Mantenho os livros de criança, embora não cá em casa, e até os livros de que não gostei (além de imensos que não li e sei que não vou ler). Recentemente comecei a comprar no Trade Stories e pensei se não fazia sentido vender também. Fui ver e seleccionei alguns livros que nem sequer me lembrava que tinha para vender por lá, tirei as fotografias mas guardei-os noutro local. Nessa altura escolhi alguns para doar, também, porque acho importante e faz-me sentido. Não avancei. Vamos ver se este post é o”pontapé” para o fazer.

share your theory

%d bloggers like this: