Diário de Escrita

#12 – E se mudar de ideias?

mudar de ideias na escrita

Há uma dúvida que deve assombrar muita gente que escreve: e se mudo de ideias? E se percebo que afinal quero ir por outro caminho? Ia escrever sobre isto mais à frente, mas aconteceu-me algo que me fez perceber que a ordem certa era esta. Hoje falamos sobre mudar de ideias e encontrar caminhos diferentes durante a história.

Enquanto escrevia o último Diário de Escrita tive uma espécie de epifania. Estava a falar sobre o tema do livro que estou a escrever e disse: violência doméstica e famílias monoparentais. Parei. Não era aquele tema que eu queria. Aquilo não estava certo. 

Deixei o Diário de Escrita a meio e fiquei a pensar no tema e no propósito. O tema não era aquele. O tema é famílias. Mas, então, que impacto ia ter isso na minha história? Fui fazer uma caminhada e, durante esse tempo, comecei a construir o início ideal para falar de famílias. Tudo fazia sentido assim.

E se mudar de ideias?

Quando escrevi o outro livro tinha cinquenta páginas escritas quando decidi que, afinal, não queria que aquela história fosse contada assim. Podia ser o fim, mas foi aquilo que me permitiu avançar e terminar a história. Por vezes é mesmo preciso parar e ver aquilo que a história nos pede.

Neste caso, como ainda estou no início, não foi uma mudança drástica, mas é uma mudança que me permite ter um fio condutor diferente e, por isso, deu resposta a uma pergunta que me estava a assombrar: e daqui vou para onde?

No entanto é preciso perceber se a tua mudança de ideias se deve ao facto de teres uma ideia melhor para desenvolver ou se é algo que acontece porque não sabes ainda o que queres daquela história.

O que fazer quando surge uma ideia nova?

Obviamente, escreve essa ideia. Quer optes por seguir esse caminho ou não, é bom teres as tuas opções escritas.

Percebe se a tua nova ideia altera o que já tens escrito ou se só tem impacto no que ainda não está escrito. Se altera o que já tens escrito percebe qual a melhor forma de reescrever. Se só altera o que ainda não escreveste então começa a encaminhar a história para esse ponto.

Analisa se esta nova ideia é melhor para a história ou não. O facto de teres novas ideias não significa que valha a pena investir em todas.

Não tenhas medo de ideias novas. O facto de teres ideias não é mau nem deve fazer-te sentir que assim não vais a qualquer lado. Ter ideias não deve fazer-te parar.

No entanto não deixes que o facto de estares constantemente a ganhar novas ideias te faça estar sempre a mudar a tua história. Está atento ao que ela te pede, mas tem calma com as mudanças.

No fundo, mudar de ideias deve ser algo que valoriza e melhora a tua história e não algo que te traz mais dúvidas ou que te faz parar ou mesmo desistir. Tudo o que é para melhorar é bem vindo.

4 Comentários

  • Reply
    Carolayne T. Ramos
    21/09/2020 at 21:47

    Uhuuuu 🙌🏾 Conselhos vindos de ti são sempre bem-vindos!! Realmente, uma descarga de novas ideias assusta imenso, no entanto, é saber onde e como as aplicar na nossa história! Mesmo que dermos por nós a desenvolver outra história, o importante é não pararmos o fluxo, mas sim mergulharmos nele!

    LYNE, IMPERIUM BLOG // CONGRESSO BOTÂNICO – PODCAST

  • Reply
    Andreia Morais
    21/09/2020 at 21:53

    Sinto que a mudança de ideias acaba por ser um assunto dramático, porque, muitas vezes, obriga-nos a reestruturar o caminho e achamos que isso só pode significar perda. Só que também pode implicar coisas boas e ficarmos menos recetivos à mudança pode condicionar a experiência!

    Obrigada por teres focado este tópico *-*

share your theory

%d bloggers like this: