Música

Spotify Playlists Tour 2.0

spotify playlists tour

Quando esta publicação foi originalmente publicada, em Abril de 2018, foi uma das publicações com melhor feedback da altura. Entretanto, mudei de conta de Spotify e as playlists foram ganhando nova vida, novas músicas. Quando mudei para o WordPress essa publicação ficou desformatada e, em vez de a formatar, decidi fazer uma versão revista e aumentada da minha Spotify Playlists Tour, com um cheirinho de como organizo as playlists no Spotify.

Já que estamos a falar de Spotify, há quatro anos falei da experiência de ter Spotify Premium. Algumas coisas já se alteraram, uma vez que já dá para ouvir tudo da Taylor, da Beyoncé e da Adele, mas o resto mantém-se muito actual, pelo que convido-te a ler também a review da minha utilização do modo Premium.

Como organizo as playlists do Spotify

Perceber que era possível criar pastas no Spotify e, assim, arrumar as playlists foi uma maravilha. Desde aí, tenho todas as playlists em pastas, excepto uma delas, a soundtrack of the moment, que é a playlist onde incluo as músicas que mais ando a ouvir no momento ou as músicas novas que saem e quero ouvir mais vezes.

Neste caso tenho seis pastas: uma de podcasts (só dá para adicionar episódios pela aplicação), uma de playlists feitas por mim, uma pasta para playlists que faço para escrita e para os meus livros, uma para playlists feitas pelo Spotify e outra para playlists feitas por outras pessoas e, por fim, uma pasta para as playlists do 1001 Albums/Songs You Must Hear Before You Die.

Para esta publicação, vou focar-me apenas nas playlists criadas por mim.

Spotify Playlists Tour

Dentro da pasta onde guardo as playlists feitas por mim optei por as separar em três outras pastas: a pasta com as playlists de Verão que por aqui aparecem anualmente, a pasta com playlists feitas para o blog (como a do Até Riscar o Disco e outras) e, por fim, a pasta com a minha banda sonora.

Nessa pasta tenho 15 playlists, mas só vou mostrar-te 12 delas. Das outras três, uma é só GNR (mas é pública e podes ouvir na mesma aqui), outra está em construção e outra é demasiado pessoal. A ordem com que vou apresentá-las é aleatória.

As playlists

Mais sobre as playlists

à beira mar plantado: esta é a playlist dedicada aos artistas portugueses. Há vários géneros, várias décadas, mas é tudo português.

dancing in the dark: esta é a workout playlist, mas não exclusivamente. É uma playlist com músicas ritmadas, que dão vontade de dançar e mexer, ideal não só para treinar, mas também para quando apetece só dançar pela casa.

save rock and roll: criei esta playlist para quando só me apetece ouvir música mais pesada, desde rock metal, algum emo e por aí fora. Acredita, apetece-me muitas vezes.

music speaks when words can’t: esta é a playlist que mais uso para ler ou escrever, porque é só instrumentais. Apesar de não me importar de ler e de escrever com música com letra, às vezes só quero mesmo algo de fundo e é aqui que encontro esse refúgio.

Mais sobre as playlists

hauntingly beautiful: esta é uma das minhas preferidas porque reúne muitas das minhas músicas preferidas e porque todas as músicas me transmitem algo. E o nome vem de uma frase dita num dos meus episódios preferidos de How I Met Your Mother.

samba no pé, caipirinha na mão: foi música brasileira que pediste? Também tenho! Tem funk, tem pop, tem clássicos. Como gosto de música brasileira, fez todo o sentido criar uma playlist só para ela.

baby, you can drive my car: esta é a playlist das boas energias e das músicas para cantar no carro e em todo o lado, incluindo no chuveiro.

don’t let it break your heart: se a anterior era a das boas energias, esta é a das más energias. Ou, vá, é a dos corações partidos e dos dias maus. Basta espreitares a lista para perceberes porquê. No entanto, também a ouço em dias normais, em que só apetece ouvir aquelas músicas românticas mesmo de vomitar corações cor-de-rosa.

Mais sobre as playlists

p’ra onde tenha sol:playlist do sol, da luz, dos dias quentes ou dos dias em que precisamos daquela energia extra que só os dias de sol sabem dar. É a que mais tenho ouvido nos últimos dias.

i should have met you in the 80s: eu, fã de música dos anos 80, me confesso. Não sei explicar, mas realmente gosto muito de música dos anos 80 e, por isso, só podia mesmo ter uma playlist com as músicas dessa década de que tanto gosto.

show das poderosas: há uns anos concluí que ouvia poucas artistas femininas e depois decidi criar uma playlist só de música de artistas femininas ou de bandas com vocalistas femininas.

christmas tunes: esta é auto-explicativa, não é? É só música de Natal, para ouvir durante todo o ano.

A maior parte das minhas playlists funciona no modo work in progress, porque estou constantemente a adicionar músicas e às vezes até o título mudo. Aliás, reparaste que a maior parte dos títulos vêm de músicas? Não é coincidência! Passo grande parte do dia com o Spotify ligado, portanto, se tiveres curiosidade, podes seguir-me por lá e indicar-me as tuas playlists preferidas.

1 Comentário

  • Reply
    Andreia Morais
    28/05/2020 at 15:57

    Se é sobre música, é claro que vou adorar! E tens opções para todos os estilos e momentos, que incrível *-*
    Eu vou criando playlists mensais, de todas as músicas que me vão marcando durante aquele período de tempo. E, mais recentemente, criei a «1 título, 1 tema», que ficará em permanente atualização

share your theory

%d bloggers like this: